13 janeiro 2009

Revolução Na Televisão Brasileira

Jana Bennett
diretora da BBC VISION


Ela é considerada uma das mulheres mais poderosas da mídia inglesa. Administra um orçamento anual de um bilhão de libras (cerca de 3 bilhões, e meio de reais) e é resonsável pelo nível de qualidade e criatividade de todos os canais de televisão do enorme conglomerado em que se transformou a British Broadcasting Corporation, a BBC de Londres. Exemplo e referência de tv pública no mundo e principal fonte de informações na Grâ Bretanha, a BBC também ganhou reputação internacional pela qualidade e seriedade de suas produções. Além dos quatro canais principais, tem uma variada programação distribuida via cabo e satélite, abordando temas em todas as áreas: artes, ciências, notícias, programas infantis, documentários e outros. No mundo, o serviço internacional da BBC é levado a todos os continentes, com transmissões de rádio, tevê e Internet em 33 idiomas. O Brasil está incluído. Os conteúdos que alimentam essa rede estão sob a responsabilidade de Jana Bennett, hoje figura de frente no debate sobre a incorporação de novas mídias pela emissoras de TV, busca de maior audiência entre o público jóvem e o papel da TV Pública nesses tempos de imprevisíveis inovações tecnológicas. (Fonte: Tv Cultura)

Assistindo ontem a uma entrevista com Jana Bennett no programa Roda Vida, transmitido pela TV Cultura, comecei a pensar: é possível criar uma TV pública em nosso país com conteúdo de qualidade, e com acesso para toda a população? Na Grã Bretanha isso aconteceu. Sem incentivos privados, e com o investimento dos próprios expectadores, a rede de TV britânica consegue manter um alto nível de qualidade em sua programação, sem comerciais, programas apelativos, e ainda é inovadora em novas formas de mídia. No Brasil, temos a “TV Brasil” (alguém sabia disso?), que até tem um bom conteúdo, mas em questão de acessibilidade, requer um conhecimento específico para sua sintonização. Olhe como a TV deve ser sintonizada em diferentes estados:

Pra quem não mora em São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, ou Distrito Federal, deve seguir o procedimento especificado para transmissão analógica ou digital. Como está descrito acima, o procedimento não é tão simples. Confesso que, eu por exemplo, não conseguiria sintonizar a TV Brasil, e acredito que seria a mesma coisa para a maioria de nós brasileiros. A programação da TV Brasil é bem variada, contando com programas de esportes, entrevistas, programas culturais, ou seja, programas para vários gostos. Resolvendo a questão da acessibilidade (que é o principal problema, e a solução seria fazer o canal entrar na grade de canais abertos em todo o país), a TV Brasil tem tudo para dar certo no país.

A situação da televisão brasileira está precária. Programas como o “Superpop”, “Marcia”, “Big Brother Brasil”, não acrescentam nada a vida do brasileiro. Nem na questão de entretenimento, pois tratam de assuntos fúteis, vulgares, e no caso do “Superpop” e do “Márcia”, sempre acabam em baixaria. O mais engraçado, é que enquanto passava a entrevista com Jana Bennett, na Tv Cultura/Rede Minas, por volta das 23:00, o “Superpop” estava no ar, e o assunto do programa era sobre atrizes pornôs. No programa, estavam Márcia Imperator, Julia Paes, e mais uma “atriz” que não sei o nome, discutindo com um outro grupo de pessoas sobre o direito de poderem falar se são atrizes ou não. Quando mudei pro canal o papo já não estava muito amistoso, a ponto de Márcia Imperator dizer a seguinte frase pra uma mulher do outro grupo: “se ela fala tão mal de filme pornô, deve ser porque não sabe transar.”O problema é que esse tipo de coisa dá audiência, mas por qual motivo? Será por falta de opção? Pois a maioria dos canais educativos, estão na TV fechada, e os canais abertos, praticamente não fornecem esse tipo de programação, quando fornecem, são em horários de pouca audiência, por exemplo, o Globo Ciência, Educação, Ecologia, e Universidade, programas com alto índice de cultura e informação educativa, são transmitidos entre 06h10 e 07h30 da manhã, isso, uma vez por semana no sábado. Alguma criança acorda neste horário em um sábado?

Acredito que a solução, seja a banalização de programas com conteúdo apelativo, e o investimento em programas com fins educacionais, e culturais. Se hoje a televisão já está assim, imagina então o que nos aguarda para o futuro.




7 comentários:

Gabriela Izar disse...

É por isso que eu gostava do Ratinho.ahahahaha brincadeira.
A tv já não é mais a msm, se não é novela é brigas e baixaria.
Sem falar no domingo que parece ficar pior (se é que tem jeito de piorar), Faustão, Gugu, Raul Gil...o "leque" de opções pro seu domingo é um essspetáculo!
Apesar dessa "Tv Brasil" "pegar" em pouquíssimos lugares, nós mineiros pelo menos temos 1 opção, o programa Alto Falante da Tv Cultura, isso sim é um excelente programa, uma pena que poucas pessoas conhecem, tinha que ser mais divulgado.

Agora, essa mulher da BBC é "o cara" ahahahaha, tem como arrumar uma dessa pra cá? estamos precisando urgente!

clayton disse...

Até que ponto a programação da BBC não é manipuladora tb?
Pois é cara, não confio na imparcialidade da BBC não, assim como em outras diversas emissoras de TV do Brasil e do mundo! Me parece que essa Jana Bennett é judia... isso é verdade?? se for explica muita coisa sobre a cobertura da BBC sobre os ataques Israelenses a Faixa de Gaza.

O caso do Superpop e outros similares, não são exclusivos do Brasil, existem programas assim em Londres também, e aposto que bomba na audiência por lá ...

o que fazer né?? é foda bixo...é foda!

abração e e parabéns pelo artigo.

Anônimo disse...

Fala grande João!

Cara mais uma vez acho que o buraco é mais embaixo!

O grande lance não é ter simplesmente TV com programação de qualidade...a rede minas esta ai... e por vários anos consecutivos já ganhou prêmios pela ótima programação.

Enfim , o lance e aumentar o grau de instrução do Brasileiro! Informação de qualidade tem pra todos, ( e segundo o governo de forma acessível)já existe. o diferencial é transformar esta informação em conceito.

Enquanto continuarmos consumindo estes lixo publicitários de fácil digestão, continuaremos estáticos na zona de conforto de quem as fabrica!
Enquanto isto: temos mais uma copa, mais uma eleição pra presidente, mais cerveja e pão e circo para o povo!!!

Gibran

Pâmela Lorentz disse...

O problema dos brasileiros gostarem tanto da TV Apelativa, é graças a falta de cultura.
Esses dias estavamos eu e minha familia conversando sobre os dias atuais, e todos falando deste mesmo assunto. Foi ai que percebi que meus professores estão certos quando falam que o que falta no Brasil é cultura.
Desde cedo os pais, familiares e educadores, ao inves de incentivar as crianças a lerem um livro ou verem um desenho educativo, eles preferem comentar sobre programas e assuntos que nao fortalessem o caracter cultural da criança.
Um exemplo claro e que está bem perto de mim, são meus primos,que ainda são crianças. Você chega pra minha priminha mais nova e pergunta porque o Fabio Assumpção saiu da novela das seis, ela sabe perfeitamente te dizer que foi por causa das drogas, e diz tambem aonde ele está internado. Ai como eu estou sempre presente na vida dela e sei como é sua criação. Posso dizer com segurança qual é causa dela saber falar sobre a vida do ator, e não saber falar quem é o presidente do Brasil, ou quem é Carlos Drumond de Andrade.
Desde quando ela nasceu sua mãe pra faze-la durmir ligava a TV num programa de fofocas, e a menina cresceu nesse ambiente, portanto fica dificiu para ela sair dele. Até que alguem consiga influência-la fazendo com que sua cultura mude.

Priscila disse...

Ouh,confesso q até eu vejo um pouco dessas discussões no programa da Gimenez,haahauahaua,em partes por falta de opção mesmo,porq vc zapeia a tv e ñ encontra nada q seja superior, é daí pra baixo,rs...mas é raro, exatamente por isso q eu ultimamente quase ñ saio do meu pc,pelo menos nele eu escolho o q acessar ou não acessar...
Mas bem,em BH pelo menos temos a Rede Minas,a TV Horizonte tbm tem alguns programas ótimos! Ultimamente tenho assistido Band News tbm,o foda é q às vezes repetem o conteúdo da Record,mas em sua maioria as notícias e reportagens são ótimas.
Eu já pensei um bocado sobre isso.
O foda cara é q eu acho q aqui no Brasil é meio q um ciclo...
Eles passam porcaria porq sabe q é isso q dá audiência,e consequentemente o povo não conhece conteúdo inteligente porq tbm ñ vê...
Porq ouh,pensa bem,quando criaram o BBB por exemplo!Era novo no Brasil,e continuou porq deu audiência,ou seja,o povo é q deu razão para q continuassem.
Eu acredito q muitos programs continuam sendo veiculados porq o povo vê!E em alguns casos não é só por falta de opção,algumas pessoas assitem porq incrivelmente,gostam daquilo...é foda! Seria necessário q algo quebrasse esse ciclo pra primeiramente fazer o povo se interessar por conteúdo inteligente...

Priscila disse...

"Desde quando ela nasceu sua mãe pra faze-la durmir ligava a TV num programa de fofocas"

Nossa,lendo o comentário anterior até me dá angústia em lembrar q é isso q minha irmã faz com meu sobrinho! :/
Liga a tv e deixa ele assistindo tv (só q minha irmã vê SBT praticamente o dia inteiro). O menino já se empolga com as musiquinhas de comerciais e afins...
Bem q eu gostaria de tentar influencia-lo diferentemente,até tentei dar o cd do Pequeno Príncipe pra ele escutar (ele só tem 1 ano)mas não achei!
Nossa,assim q ele começar a ler vou dar um jeito de me intrometer em sua educação,hehehehe

Priscila disse...

Ah é,alguém comentou sobre as emissoras ao redor do mundo...
A Endemol,emissora q criou o BBB é holandesa! Já foram feitas inúmeras versões em vários países ao redor do mundo,até mesmo na Índia q é uma sociedade super conservadora em alguns aspectos...
Isso realmente é verdade,ñ é só no Brasil q os teleespectadores gostam de uma porcaria, hauahauahaua...